Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

La Vie En Rose

LifeStyle Blog | Por Raquel Teixeira

La Vie En Rose

LifeStyle Blog | Por Raquel Teixeira

My Pet#1 – Os animais da minha vida!

Sempre tive animais de companhia, acho que só mesmo duranteo período entre os meus 3 e os 5 anos é que não morou mais “ninguém” connosco(exceto um canário)! O meu primeiro animal de estimação foi o Pom-Pom, um gato que foi viver lá paracasa quando eu tinha cerca de ano e meio. O Pom-Pomcresceu e começou a perceber que eu andava demasiado pela casa e que,provavelmente, fazia demasiado barulho e bagunça para o seu gosto. Posto isto decidiuque o melhor seria mesmo acabar comigo! Tentou, por diversas vezes, atacar-me pelascostas, arranhando-me e provavelmente miando algumas palavras de ódio. Asituação, de acordo com o que me foi relatado, tornou-se insustentável! Foientão que os meus pais decidiram colocar ambos para adoção (a mim e ao Pom-Pom) e o Pom-Pom conseguiu uma família primeiro do que eu e os meus pais foramassim obrigados a ficar comigo (coitados mal sabiam eles as despesas em queestavam metidos…comida, médico, roupa, sapatos, escola, universidade…). Depoisdo Pom-Pom ir para a nova família nãotivemos qualquer outro animal em casa, exceto o tal canário que referi em cima(eu sei que é um animal de companhia e que muitas pessoas gostam imenso depássaros, e eu também gosto, mas não sei conviver com eles da mesma forma,ahahah)!




Quando vim para Portugal comecei a ter cães e gatos (tambémnão vamos contar aqui com as galinhas, coelhos e cabrinhas, ok?)! A primeirafoi a Bambina, uma "menina" de raça “cão”,porte médio, muito brincalhona e com um pelo imenso, branco e castanho. Quaseao mesmo tempo adotamos a Bibi, umagata siamês que durou mil anos e deixou um bom legado em termos de família! A Bibi passou mal durante os meusprimeiros anos na escola primária… ela era vítima do quarto das bonecas!Vestia-lhe vestidos e tentava que ela ficasse a dormir na cama das bonecas mastal como seria esperado de um gato, fugia à primeira oportunidade! Fugia de mime da Patrícia (ahahaha)! Ainda com a Bambinaa fazer-nos companhia chegou a Pantufa,a menina dos olhos do meu pai, pequenina de pelo curto e com um feitiozinho, uiiiii! Ela era sempre aprimeira em tudo e tudo o que fosse novo era dela, nem que fosse um pedaço depano caído no chão, lá estava ela deitada em cima dele e a rosnar aos outroscães! Ela gostava de mim mas o meu pai era realmente o grande amor dela, era recíproco!A ela juntou-se o Flash, um cãozinhoamarelo que o meu avô me trouxe dentro de um balde, cheio de diarreia e com umaspeto não muito saudável. Permitam-me que corrija, ela chamava-se, Flash Gordon e teve direito a uma casotaforrada a papel com desenhos feitos por mim e presos com fita-cola (o Flash, mesmoparecendo que não sobreviveria mais do que 4 horas, ganhou forças e viveu muitos elongos anos!). Durante a estadia destes três meninos passaram também lá porcasa o Black, um cão alto, magro e decor preto (eu sei que não fomos muito originais) e a Miroska. Ambos foram para o chamado “céu dos cãezinhos” bastantecedo, doentes com a chamada Parvovirose. Atéentão apenas tinha tido cães de raça “cão” vindos de pessoas conhecidas porquea sua cadelinha fugiu e apaixonou-se por um cãozinho muito fértil, coitadinhos dosbebés…vamos levar um lá para casa, vá lá, vá lá! Somente em 2000, sensivelmente, tive omeu primeiro Labrador Retriever, um macho amarelo, chamado Dug. O Dug veio paranossa casa com apenas umas horas e foi criado a biberon! Confesso que nunca pensamos que fosse possível conseguir mantê-lo vivo pois ele era muito mas muitopequeno mas…resultou (a mãe do Dug não tinha leite e então matava as suas ninhadas…bahhhh)!Conseguimos criar um pequeno grande monstro que chegou aos 30 e tal quilos! Ao Dug, juntou-se uma menina, uns anosdepois, a Duguette, de cor castanha ede tudo fizemos para os fazer felizes! Em troca recebemos muito amor e muitaalegria de ambos, até ao seu último dia. A partir da morte do Dug, percebi que ter animais de raça temum ponto muito negativo…eles vivem menos que os cães de raça “cão”.

Ainda durante o tempo em que o Dug, a Duguette, a Pantufa, o Flash e a Bibi estiveramconnosco (de 2000 a 2012 - a Bibi muito menos tempo), juntaram-se a nós o Jackie (gato do tipo europeu comum, filho da gata Bibi e que viveu pouco tempo connosco poisfoi envenenado…enfim vamos passar à frente), o Pom-Pom (irmão do Jackiemas em versão siamês - foto em baixo), a Mimi (também filha da Bibi - foto em cima), o Saddam (o cão mais maluco e suicida quejá conheci – partiu a queixada pois o labrador atacou-o de uma forma não muitobonita, foi operado, levou parafusos e um mês e meio depois de sair dohospital, ainda com a parabólica, decidiu ir enfrentá-lo de novo – ele tinhacontas para ajustar! ahaha), a Traquina(adotada já em adulta), a Macaca (tambémadotada já em adulta e com as orelhas cortadas – o senhor que a tinha antes denós achava que ela ouvia mal e então cortou-lhe as orelhas), o Fato-justo (também adotado já em adulto),a Maria (adotada já em adulta), a Mini-saia (fruto do relacionamento da Pantufa e o Flash) e por fim a Choucroute (fruto de um relacionamento entre a Mini-saia e o Flash – que no fundo era o seuavô, uiii)

Precisamente em 2005 a Luaveio morar connosco, uma suposta Caniche, que felizmente se veio a revelar umcruzamento entre Bichon e Caniche (digo felizmente pois quero que ela seja omais rafeira possível para viver muitos e longos anos). Ela é a menina maislinda do mundo e a minha grande paixão! Falo com ela como se de uma pessoa setratasse e, podem apedrejar-me, ela comunica comigo também! Ela é linda de pelocomprido, de pelo curto e mesmo cheirando mal da boca (é horrível, desde bebéque cheira horrivelmente da boca). Adorei todos os meus cães e gatos mas a Luaé especial! Dorme no meu quarto, vai de férias connosco e por ela ia connoscopara o trabalho, ao supermercado, a todo lado! Por volta de 2009 nasceu a Bicha-gata (filha da MiMi mas de um relacionamento já muito tardio – meses antes de falecer - foto em cima). Já o Pendura, o meu “Tio” (cão dos meus avós) entrouna família faz uns 4 anos bem como o Pon-Pon Kevin (um gato tipo siamês que precisava de uma família) eainda a Baya Nita (uma égua – nestaaltura tivemos de fazer algumas alterações lá por casa pois adotar uma égua é um bocadinhomais complicado que um cão). No final do ano passado (2014) juntaram-se a nós oStallone (gato preto e branco,nascido na rua e animal ao qual “alguém” lhe partiu a pata dianteira) e a Ema MargaridaFrança (a nova labrador da família!) completamente louca, destruidora, destrambelhada,linda e meiga!

Fazendo o atual ponto de situação, neste momento fazem parteda família a Lua, a Ema, o Pon-Pon Kevin, o Stallone,o Tio, a Baya, a Choucroute e o Fato-justo! Para mim ter sido criada nomeio dos animais de estimação e de criação (sim, no meio das galinhas, dos coelhos,das cabras, dos pombos e afins) sempre foi algo espetacular (menos naquelashoras, claro!)! Adoro animais, adoro o contacto com eles, adoro que me sujem,que me lambam e que gostem de mim de uma forma tão pura, leal e especial quepor vezes dou por mim a pensar porque razão ficam tão felizes por me ver?! (nofundo não tenho a certeza se ficam felizes e muito menos se realmente gostam demim mas prefiro pensar que sim! Bem, temos sempre os gatos, esses eu sei queprimeiro pensam em esfanicar-me a cara e depois lá me deixam estrafegá-los umbocadinho e dar-lhes uns “kisses” eumas festas! Ahahah).

Espero ter ao longo de toda a minha vida a possibilidade deter um animal de estimação e ter a capacidade de lhe dar tudo o que merecem e proporcionar-lheuma ótima vida!

E vocês também tiveram ou têm animais de estimação? Tambémjá fizeram as contas ao número de vidas com quem já partilharam a vossa casa?Contem-nos tudo! Partilhem fotografias dos vossos patudos especiais sejam elescães, gatos, pássaros, répteis e afins. Nós queremos conhecê-los e este espaçoé dedicado a eles! Se tiverem uma historia engraçada do vosso animal enviem-napara o e-mail do blog e logo quepossível ela será publicada aqui na rubrica MyPet! Para partilharem utilizem as redes sociais do blog, Facebook e Instagram e o hasthtag#blogaddictedto

Ps. Também tive peixes, tartarugas, bichos-da-seda, hamsters e ainda um caracol, o Óscar! Na verdade, ainda tenho umpeixe, o noix de coco, uma carpagigante que não tem medo nem de gatos nem de cães pois eles adoram beber águano sítio onde ela mora! Tenho ainda pássaros é verdade mas não convívio muitocom eles! Nada contra, nada contra! Ahahah

Aqui vos deixo algumas fotos dos Pets (não de todos) que partilham/partilharam a vida connosco!


1 comentário

Comentar post

Sobre mim

Perfil
Raquel Teixeira | 29 | Food Engineer | Quality Management
-------------------------------------
lavieenrose321.info@gmail.com
-------------------------------------
Parcerias|Imprensa|Sobre o Blog

Instagram

Zomato

Vê a minha história gastronómica na Zomato! Vê a minha história gastronómica na Zomato!

Shop

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D